quarta-feira, 13 de abril de 2011

devagar se vai ao longe .

                                           
é impressionante como contínuas a deixar saudade . quer dizer tu sempre foste impressionante , tudo em ti sempre foi assim ; único e impressionante . não sei se já foste embora de vez , mas sei que não me provocas tanta dor como em tempos . é certo que as saudades continuam apertar , continuam a existir , mas já aprendi a controlá-las . sinceramente nem sei explicar o porquê de tal existência : saudades tuas . porque se queres saber , pequenino , já não és practicamente nada em mim . e tal como eu , devias estar feliz por isso . porque afinal de contas , mesmo tendo passado muito juntos , agora já não devemos nada um ao outro . o que é positivo , pelo menos agora sim , posso afirmá-lo . já não te peço os teus abraços , já não te peço os teus beijos , os nossos momentos , o teu olhar , a tua força em mim , ou simplesmente a tua vontade encantadora de me surpreender , agora peço-te apenas que não me lembres como 'mais uma' mas sempre como o que realmente fui para ti , e até com orgulho , porque quer acredites ou não , é assim que te guardo no meu coração , com orgulho do que em tempos talvez tenhamos chegado a ser . houve um tempo que inesplicavelmente até me conseguis-se tirar as forças e a vontade de escrever . tinhas de facto muito poder sobre mim . tinhas de facto tudo em mãos . fizeste a tua escolha , e sendo o melhor ou não , está feita , e agora não quero , nem vou cair pela terceira vez no mesmo erro . lamento , lamento como isto teve um fim . mas como acabei de referir , a escolha foi tua . e é assim , acredito que não tenha perdido mais este tempo contigo , porque o tempo para além de não se perder mas ser mal gasto , eu 'gastei-o' porque quiz , não me obrigas-te , não me pedis-te , mas eu quiz fazê-lo . porque afinal de contas , contínua a existir um 'tu' na minha vida . afinal de contas , foram practicamente 6 meses de altos e baixos , 6 meses bem intensos , mas que ainda hoje relembro a promenor . bem pequenino , como vez , continu-o a recordar-te , era o que tu sempre quizeste , não era ? era que eu nunca te esqueçesse , e de uma maneira ou outra , lá o vou cumprindo .

Sem comentários:

Enviar um comentário